JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

O que é regressão e como funciona esse procedimento?

Regressão
O que é regressão e como funciona esse procedimento?
4.2 (84.08%) 49 votos

Muitas pessoas, inclusive profissionais que trabalham com a mente, perguntam-se o que é regressão e como ela funciona. Essa é uma questão extremamente importante, visto que, com o passar dos anos, o cérebro vai sendo marcado por lembranças, as quais ficam gravadas no subconsciente.

hipnose faz parte de diversas abordagens psicológicas e colabora no processo de regressão. Para se aperfeiçoar, e até mesmo para cuidar da própria saúde mental, nada melhor do que conhecer e dominar o assunto. Portanto, é importante entrar em contato com a prática e entender o seu funcionamento, para ajudar mais pessoas a se autoconhecerem.

O certo é que, independentemente de ser psicólogo ou paciente, é importante conhecer a regressão como ela é.

Pensando nisso, no post de hoje, nós lhe ajudaremos a entender o que é regressão e como funciona esse procedimento. Continue a leitura!

O que é regressão?

A palavra “regressão” remete a diversos significados e interpretações. A terapia de regressão nada mais é do que um retorno às lembranças do passado – tanto de um passado recente, como de questões muito antigas, da primeira infância, e até vivências uterinas – que podem estar gerando algum desconforto no presente.

Em certos casos, quando em consonância com as crenças do paciente, o processo de regressão pode acessar até memórias de vidas passadas.

A regressão é um retorno no tempo e no espaço, independentemente de crenças pessoais, segmentos religiosos ou capacidade individual. O objetivo é ativar cargas emocionais adormecidas, as quais podem motivar algum transtorno psicológico no presente, e ressignificar o valor dessa lembrança.

A natureza da memória

Normalmente, no dia-a-dia, quando buscamos alguma memória antiga em nossa cabeça, não trazemos somente ela para o nosso consciente. Sempre “rebocamos”, com essa memória, outras informações que possam estar relacionadas.

Quando rememoramos trazemos à tona sentimentos, cheiros, vozes, sensações, cores fazem parte da memória e estão armazenadas com ela! Assim, se tentarmos lembrar de um menino que vimos jogando bola, não nos lembraremos somente de sua imagem e aparência.

Lembramos também de outras informações que acabam vindo a tona por estarem relacionadas com o fato. Como por exemplo: o que estávamos fazendo quando vimos o menino? Como estava o clima naquele dia? Em que lugar isso se passou? Entre outros elementos.

Hipnotizados, com o acesso ao subconsciente potencializado, mais informações são rebocadas. Dentre elas, memórias sensoriais e emotivas. Dessa maneira, além da lembrança estar muito mais detalhada, o sujeito passa a ter a sensação de estar de volta à aquele ambiente.

A regressão de vidas passadas

Esse tema polêmico é muito questionado tanto por hipnólogos quanto por pacientes. Mas acontece que o processo de cura está muito interligado com o que o sujeito acredita. Na verdade, se há um problema e o papel da hipnose é ajudar a resolve-lo e resinifica-lo, não cabe ao hipnólogo testar a veracidade daquela resolução.  Não entendeu? Vamos explicar:

LEIA:  Sintomas da Hipnose: 14 sinais que seu paciente está em transe

A explicação cética

Não é papel do hipnoterapeuta definir se há veracidade ou não na crença do paciente. Por exemplo… Suponhamos que você é um hipnoterapeuta realizando atendimentos. O seu paciente se queixa de insônia.

O “motivo real” daquela insônia incomodar o paciente agora é porque, quando criança, a sua mãe deixava a televisão muito alta e isso criou um irritação nesse paciente a ponto dele não conseguir dormir.

Porém, quando você começar a realizar o processo de regressão, pode ser que ele retorne à infancia e não reconheça essa irritação na memória. Criando um outro motivo pelo qual está sem sono agora, como o medo de escuro, por exemplo. Se o paciente acredita que não dorme porque tem medo do escuro e você, quanto hipnólogo, consegue tratar esse medo, a insônia também some.

A explicação ética

A explicação acima foi uma explicação cética a respeito do que acontece quando, em uma regressão, a “memória problema” não é a memória real mas ainda assim resolve a questão. Caso haja a crença de que as reencarnações existam e, durante o processo, o paciente retorne à uma delas, cabe ao profissional a condução do processo terapêutico, através da identificação e tratativa do sentimento de desconforto.

Afinal, como já explicado, ele é o único fator que altera o comportamento presente. Se essa memória problema é real ou não, ninguém poderá dizer. O certo é que independentemente da sua origem, caso seja solucionada, o comportamento problema também será.

Por que fazer regressão?

É comum você sentir, em algum momento da vida, uma vontade de conhecer um pouco mais do seu passado. Pode ser que haja a curiosidade se realmente existem vidas passadas. Assim como, essa curiosidade é mais comum, se algum fato marca a sua história.

Quais os sentimentos guardados em relação aos quais lugares em que morou? Quais pessoas conheceu? Algumas dessas perguntas já devem ter passado pela sua cabeça em algum momento, não é mesmo?

Também pode acontecer de sermos acometidos por situações que parecem não ter explicações óbvias e que deixam perguntas sem respostas evidentes, como: “por que perdi um ente querido tão cedo? Por que determinada pessoa simplesmente me odeia? Por que será que, mesmo sem nenhum motivo aparente, eu sou a ‘ovelha negra’ de toda a família?” Essas são questões não esclarecidas, que nos incomodam e podem atrapalhar nossa vivência.

Indo um pouco além de simples conjecturas, nós nos deparamos com situações em que essas dúvidas se transformam em sentimentos mais profundos e complexos, desenvolvendo sérios “problemas” emocionais e “transtornos” mentais.

É importante entender que “problemas” de comportamento, fobias e medos aparentemente infundados, muitas vezes são comportamentos gerados por acontecimentos do passado. Acontecimentos do passado que marcaram, principalmente, na primeira infância e foram esquecidos com o tempo.

O subconsciente

Em nosso subconsciente, há muitas emoções decorrentes de experiências passadas. Fatos vividos há muito tempo na vida presente, mas que foram, de alguma forma, bloqueados na nossa mente consciente. Mas a nossa mente consciente é somente a ponta do iceberg… Todo o restante está imerso na mente inconsciente. Isso envolve uma quantidade infindável de emoções, sentimentos e memórias adormecidas.

LEIA:  Amnésia Pós-Hipnótica: Os estudos sobre a memória têm mais um aliado?

Diante de problemas que estejam afetando seriamente sua qualidade de vida e seu desempenho funcional, um terapeuta de hipnose regressiva poderá ajudá-lo a compreender as causas desses transtornos e avançar em sua transformação, a partir da identificação e resolução de conflitos antigos e da superação dos bloqueios e obstáculos associados a eles.

Na psicoterapia, como as questões trabalhadas são aquelas trazidas pelas verbalizações e lembranças do paciente, nem sempre é possível acessar os conteúdos da mente inconsciente.

Nesses casos, a regressão se torna uma abordagem altamente eficaz. A regressão ajuda a identificar e compreender os comportamentos inadequados que estão sendo constantemente reproduzidos, trazendo sofrimento e prejuízos para a sua vida.

Como esse procedimento funciona?

Como funciona nosso cérebro

A regressão é um procedimento em que o paciente é conduzido a recordar – e até mesmo a revivenciar – acontecimentos que tiveram uma carga emocional muito intensa e que tenham gerado bloqueios e conflitos internos.

Medos excessivos, fobias, padrões de comportamentos negativos e problemas de relacionamento que se repetem constantemente, são alguns exemplos de problemas ocasionados por conflitos passados. Essa ténica se utiliza da indução, a partir do relaxamento profundo ou da hipnose clínica, para atingir seu objetivo.

Dessa forma, o paciente busca, com a ajuda do terapeuta, descobrir onde está a experiência traumática no inconsciente.

O processo completo passa por três fases:

  1. Entrevista preliminar ou anamnese

É preciso que o terapeuta conheça o histórico pessoal e familiar do paciente. O objetivo é entender o problema e a necessidade da regressão. Além disso, prepara o profissional para realizar as perguntas corretas e reconhecer qualquer pessoa que possa surgir.

Sabemos que as memórias são normalmente atreladas a algum lugar ou pessoa. Por isso que não conhecer direito a vida do paciente pode atrapalhar o processo da regressão caso algo desconhecido ao terapeuta surja.

  1. Regressão

O paciente é induzido a um estado de relaxamento por meio de visualizações e induções. Esse relaxamento profundo deixará o paciente em estado alterado de consciência, mas com controle total do que está acontecendo.

Desse modo, as frequências cerebrais levarão o paciente a estados de leve e médio aprofundamento hipnótico. Ainda assim, mantendo-o sempre consciente das suas ações. Ele precisa responder ao terapeuta do que se lembra, sente ou observa.

Cabe ao hipnólogo guiar o processo e facilitá-lo com sugestões. Esse caminho é traçado a fim de atingir os eventos traumáticos que podem estar desencadeando o problema atual.

Neste estágio, há quatro caminhos para acessar as lembranças de experiências anteriores:

  1. Experiências visuais

O paciente poderá ter memórias visuais das experiências que vivenciou. Essas memórias podem surgir em forma de imagens bem nítidas ou em flashes corridos.

  1. Experiências sinestésicas

Não é em todos os casos de regressão que o paciente terá a experiência de memória visual. Muitas vezes, o paciente poderá reviver as memórias por meio da percepção de outros dos cinco sentidos. Cheiros marcantes são bem comuns em alguns casos, como perfumes de alguém ou de alguma comida.

Outras muitas experiências são acessadas pelo sentido da audição. Exemplos mais comuns são sons de tiros, de músicas que foram muito ouvidas, trotar de cavalos, entre outros.

  1. Experiências intuitivas

Há alguns casos em que o paciente hipnotizado não sente nem ouve nada, mas sua intuição se torna bastante aguçada com uma ou mais lembranças que vêm a sua mente durante a regressão. Assim, as sensações afloram enquanto ele tece seus relatos ao terapeuta.

  1. Experiências mistas

Essa é considerada a regressão mais bem-sucedida que o paciente pode experimentar. Nesses casos, a regressão acontece de forma mista, revela-se de forma completa, misturando duas ou mais das experiências relatadas acima. Nesta forma de regressão, acontecem as experiências mais nítidas e esclarecedoras para o paciente.

LEIA:  Hipnose no Brasil: Legislação e diretrizes

Após o período de transe, com a devida orientação do hipnoterapeuta, o paciente “voltará” gradualmente ao seu estado normal. As sessões podem ser realizadas mais de uma vez, caso seja necessário, e as experiências vividas podem ser variadas.

Análise das informações obtidas

Depois da sessão, acontece um resumo dos resultados, esclarecimentos por parte do terapeuta e aplicação dos ensinamentos, para que as lembranças trazidas à memória não causem problemas no presente.

Na regressão, podem ser utilizadas outras análises, como meditação, relaxamento guiado e retorno ao presente. O importante é ter clareza sobre o objetivo.

Fazer regressão com um profissional ético e qualificado é primordial para o efeito positivo do procedimento, tendo em vista que, em estado de subconsciência, será sob observação e orientação que o paciente poderá obter o melhor de sua regressão.

Submeter-se a uma sessão de regressão com um profissional de pouco preparo é muito perigoso e pode causar problemas ainda maiores.

É muito importante a presença de um terapeuta experiente no assunto, não só para obter o melhor resultado com todo o entendimento do que for relatado em terapia, como também para a orientação devida no decorrer da hipnose.

Para que serve a regressão?

Não é de bom tom aplicar a técnica de regressão ou terapia de vidas passadas apenas para conhecer e saber sobre vivências anteriores. Afina, essa é uma técnica para eliminar problemas que estão causando mal-estar na vida do paciente. Por isso, o uso deve ser pautado no objetivo de ajudar as pessoas.

Uma resposta prática sobre o que é regressão pode ser: um tratamento complementar para doenças psicossomáticas, transtorno do sono, disfunções sexuais, problemas com causas emocionais, dependências de drogas, baixa autoestima, baixa autoconfiança e outros medos e fobias. Esses são os elementos básicos para entender o que é regressão, seu funcionamento e objetivo.

No entanto, é possível se aprofundar mais no assunto. Entender sua fundamentação, livrar-se de preconceitos e corroborar para que os seus pacientes tenha uma vida mais plena.

Lembre-se sempre:

  1. Olhe para a sua vida com muito carinho, entenda seus conflitos e problemas como uma oportunidade para evoluir espiritualmente e crescer como ser humano.
  2. Aprenda que temos o poder de mudar apenas a nós mesmos, e que as dificuldades são nossos obstáculos particulares.
  3. Os problemas que enfrentamos são ensinamentos, eles existem para que possamos nos tornar pessoas melhores, buscar equilíbrio interior e encontrar harmonia no convívio com aqueles que nos rodeiam.

Você já participou de alguma regressão ou tem curiosidade? Escreve nos comentários!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

PRÓXIMOS

dezembro 2018

01dez9:00 am02(dez 2)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãoem São Paulo9:00 am - 8:00 pm (2) Professor:Guilherme Alves

07dez(dez 7)9:00 am09(dez 9)6:00 pmMasterClass com Alberto Dell'Isolaem Porto Alegre9:00 am - 6:00 pm (9)

08dez(dez 8)9:00 am09(dez 9)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãono Rio de Janeiro9:00 am - 8:00 pm (9) Professor:Guilherme Alves

15dez(dez 15)9:00 am16(dez 16)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãoem Brasília9:00 am - 8:00 pm (16) Professor:Guilherme Alves

últimos

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

ENTRE PARA NOSSA LISTA

e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Feito com por Let’sRocket

>

Pin It on Pinterest

X