Os Transtornos de Ansiedade podem ser considerados como os principais males do mundo moderno.

Não é de hoje que eles existem, mas a rotina corrida e os diversos compromissos diários, somados ao estresse, pressões profissionais, fobias e privações socais constantes, potencializam o desenvolvimento desses tipos de desordem mental.

Para ter uma ideia, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 33% da população mundial sofre de algum tipo de Transtorno de Ansiedade, e os brasileiros figuram entre os primeiros dessa lista.

Como consequência disso, os Transtornos de Ansiedade são a terceira causa dos afastamentos profissionais no país, gerando gastos de mais de R$ 200 milhões anuais em pagamentos de benefícios do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Alarmante, não é mesmo?

Por isso, neste post, vamos explicar tudo sobre Transtornos de Ansiedade, suas causas e sintomas, e mostrar como tratá-los de forma natural. Confira!

 

O QUE É ANSIEDADE

transtorno de ansiedade

Em conceituação mais ampla, pode-se definir a ansiedade como um estado de tensão e alerta diante de determinada situação, seja esta real ou imaginária.

Os motivos que desencadeiam o sentimento de ansiedade podem estar relacionados a eventos que ainda vão acontecer, ou podem habitar somente a mente do indivíduo, com a possibilidade de que os fatos nunca venham a ocorrer.

O indivíduo ansioso vive constantemente preocupado com o futuro. O termo preocupação já indica a ação de se pré-ocupar, ou seja, antecipar cargas emocionais que não deveriam ser absorvidas no momento presente.

A ansiedade já é definida como um dos males do século, a sociedade vive permeada pelo sentimento de urgência e as pessoas, em sua autocobrança, estão exauridas de tantas tarefas e informações que devem processar continuamente.

Diante de todas essas questões, é comum o autodiagnostico. Muitas pessoas se autointitulam como ansiosas, mas nem todas apresentam Transtornos de Ansiedade.

Medo e ansiedade são reações naturais, fisiológicas, e até benéficas para qualquer ser humano em situações de desconforto, apreensão, expectativa ou dúvida.

A ansiedade não deve ser interpretada apenas como vilã. Se considerarmos que ela nos impulsiona para a ação e integra nosso instinto de sobrevivência, vemos que também é um elemento necessário e, por vezes, positivo.

Existe também o sentimento bom de ansiedade e expectativa, por exemplo, quando estamos às vésperas de um grande acontecimento como o dia do casamento, o nascimento de um filho, o baile de formatura, uma viagem de férias ou o início de um romance.

O sentimento de ansiedade não representa um quadro de transtorno psicológico, existem diversos critérios diagnósticos que são observados para comprovar a instauração de uma desordem.

Também é comum confundir estresse com ansiedade, já que os dois quadros andam lado a lado e desenvolvem alguns sintomas semelhantes.

Porém, em muitos casos, essas sensações de tensão, preocupação e desgaste emocional se prolongam por grandes períodos e deixam de ser algo natural e esporádico, tornando-se um estado permanente e excessivo, que passa a afetar negativamente a vida das pessoas.

O problema se agrava quando a ansiedade se torna altamente prejudicial, causando limitações no funcionamento adaptativo do indivíduo.

CONHECENDO OS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

transtorno de ansiedade

O significado original da palavra ansiedade é “estrangular, oprimir, sufocar”, de acordo com o termo grego anshein, o que traduz com clareza os sintomas apresentados pelas pessoas com algum tipo de Transtorno Ansioso.

Os Transtornos de Ansiedade envolvem diversos quadros da doença, cada um com suas características específicas. É importante delinear cada caso com precisão, saber exatamente em qual tipo de Transtorno Ansioso se encaixa, para garantir um prognóstico efetivo.

 

  • Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)

O Transtorno de Ansiedade Generalizada corresponde a um quadro onde os sentimentos de ansiedade, tensão e preocupação tomam proporções excessivas, e afetam o indivíduo continuamente, causando um intenso desgaste psíquico.

LEIA MAIS:  Como a hipnose é utilizada no processo de coaching?

O estado permanente de angústia, apresentado nos casos de TAG, nem sempre é desencadeado por alguma razão, por vezes, nem mesmo o próprio indivíduo consegue identificar os motivos das suas preocupações.

Sintomas de TAG

Quem convive com o Transtorno de Ansiedade Generalizada sofre com preocupações excessivas constantes, problemas para dormir, dificuldade de concentração, fadiga, irritabilidade, tensões musculares, medos irracionais, alterações de humor, transpiração excessiva, refluxo gástrico e falta de ar.

A Ansiedade Generalizada também está associada ao desenvolvimento de outros Transtornos Ansiosos como Pânico, comportamentos compulsivos e fobias como medo de falar em público, por exemplo.

O Transtorno de Ansiedade Generalizada é diagnosticado a partir da manifestação recorrente dos sintomas: quase todos os dias da semana durante, aproximadamente, seis meses, interferindo negativamente em quase todos os aspectos da vida, sejam eles profissionais, pessoais, amorosos, familiares e na própria saúde do indivíduo.

 

  •  Pânico

    transtorno de ansiedade

O indivíduo com Transtorno do Pânico é acometido por sentimentos repentinos de angústia, desespero, sensação de catástrofe iminente, medo de morrer, medo de enlouquecer e perder o controle.

As crises de Pânico são súbitas, imprevisíveis, isso faz com que o indivíduo que sofre com essa desordem fique em constante estado de alerta e preocupação, sem saber quando e onde uma nova crise poderá acontecer.

Sintomas de Pânico

Entre os sintomas presentes nos quadros de Transtorno do Pânico estão: falta de ar; taquicardia; tremores; calafrios; dor no peito; sudorese; vertigens; enjoo; medo da morte; incapacidade de se controlar.

Para que o Pânico seja diagnosticado, o indivíduo deve apresentar ao menos quatro dos sintomas citados acima, considerando que nas crises de Pânico, estes sintomas aparecem subitamente, e se instauram com alta intensidade em menos de dez minutos.

 

  • Reação Aguda ao Estresse

 Trata-se de um quadro temporário, não crônico, acarretado pela exposição a situações altamente estressantes, que envolvam desgaste físico ou mental.

O desenvolvimento da Reação Aguda ao Estresse é comum em pessoas que sofreram algum tipo de violência, como assalto, assim como em casos de convivência contínua com situações estressoras, como lares violentos, insatisfação com o ambiente de trabalho ou problemas crônicos de saúde agravados.

Os sintomas desse quadro podem atenuar, e até desaparecer, após um curto período de tempo.

Por outro lado, existe o risco de que se transforme em um transtorno ansioso de maior gravidade, como Transtorno de Ansiedade Generalizada ou TEPT- Transtorno do Estresse Pós-Traumático.

Sintomas da Reação Aguda ao Estresse

Os sintomas desse quadro incluem: ondas de calor, transpiração, taquicardia, desorientação e aturdimento, agitação, e até estados parciais de amnésia.

 

transtorno de ansiedade

  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático

Este quadro se instaura em casos em que as pessoas vivenciam situações altamente estressoras e angustiantes. Trata-se de um transtorno muito comum em ocorrências de sequestro, estupro, acidentes graves, perdas trágicas, guerras e desastres naturais.

O indivíduo com Estresse Pós-Traumático é acometido frequentemente por pensamentos intrusivos, ou pesadelos, que o levam a reviver o momento do trauma.

As lembranças surgem acompanhadas de sentimentos de ansiedade e angústia, semelhantes às sensações experimentadas na ocasião traumática.

Essas recordações torturantes fazem com que a vítima com TEPT apresente comportamentos de isolamento e evitação em relação a tudo que lembre o fato vivido, algumas pessoas evitam até mencionar o assunto, para não recordar.

Por exemplo, uma vítima de violência, como sequestro, assalto ou estupro, pode evitar sair de casa porque algumas pessoas na rua a fazem se lembrar do agressor, assim como se mantém dominada pelo medo de que o acontecimento se repita.

Uma pessoa que desenvolveu TEPT após um grave acidente de automóvel, pode ficar longos períodos sem conseguir entrar em um carro.

O Transtorno de Estresse Pós-Traumático acaba se tornando uma condição limitante, e deve ter o devido acompanhamento profissional, caso contrário pode desenvolver ou agravar outros quadros de Transtornos Ansiosos, como casos específicos de fobia.

Sintomas de TEPT

Os sintomas e complicações desse transtorno são:

  • Recordações constantes e intrusivas do evento traumático, acompanhadas de aflição intensa;
  • Comportamentos de esquiva e retraimento;
  • Desprazer e falta de vontade de viver (anedonia);
  • Insônia;
  • Estado contínuo de alerta (hipervigilância);
  • Comorbidade com outros Transtornos Ansiosos ou Depressão;
  • Ideação suicida.

transtorno de ansiedade

  • Transtorno Obsessivo Compulsivo

 Conhecido como TOC, o Transtorno Obsessivo Compulsivo é caracterizado pela recorrência de pensamentos intrusivos acompanhados de compulsões mentais ou comportamentais.

As compulsões são atos repetitivos, excessivos, que comprometem a vida funcional do indivíduo, já que consomem muito tempo. São rituais mentais ou comportamentais executados para diminuir a ansiedade provocada pelas obsessões.

As obsessões são representadas por pensamentos, ideias ou imagens indesejadas, que invadem a mente do indivíduo com TOC de forma súbita, causando intensa ansiedade e aflição. A pessoa é incapaz de controlar ou banir tais pensamentos obsessivos.

Exemplos de TOC

A prevalência do Transtorno Obsessivo Compulsivo é bem alta, a doença é mais comum do que parece e já acomete milhões de pessoas.

As obsessões mais comuns são relacionadas à limpeza, organização, medo de contaminação, dúvidas repetidas, impulsos de agressividade e pensamentos associados à sexualidade e religião.

As compulsões que se manifestam na maioria dos casos são:

  • Mania excessiva de limpeza;
  • Tomar banho ou lavar as mãos com frequência exagerada;
  • Averiguar diversas vezes se executou determinada ação, como trancar a porta, apagar o fogo, desligar interruptores;
  • Organizar o ambiente constantemente, respeitando ordem e simetria dos objetos;
  • Rituais mentais que reduzem a aflição causada por pensamentos inaceitáveis e obsessivos, como a ideia de machucar um filho, por exemplo.

 

  • Agorafobia

 

transtorno de ansiedade

Este é mais um dos tipos de Transtornos de Ansiedade, e comumente está presente nos quadros de Pânico.

A Agorafobia é definida pelo medo e apreensão de andar na rua, sair sozinho, frequentar espaços abertos, lugares públicos.

O agorafóbico tem medo de se descontrolar em público, medo de ficar desamparado, de não ser socorrido caso precise, de não encontrar saída em situações de emergência.

Nos casos associados ao Pânico, o indivíduo se sente apreensivo com a possibilidade de apresentar crises em público e passar por constrangimentos.

 

FOBIAS

As fobias são Transtornos de Ansiedade caracterizados pelo medo incontrolável e limitante de determinada situação, objeto ou animal, como por exemplo:

  • Fobia social: medo de exposições públicas;
  • Claustrofobia: medo de espaços fechados;
  • Aracnofobia: medo de aranha.

Para conhecer mais sobre Fobias, acompanhe o nosso post aqui.

 

O QUE CAUSA OS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

 

Quando não se trata de uma causa biológica, provocada por uma anomalia química do cérebro ou problemas hormonais, os Transtornos de Ansiedade podem ser desencadeados por diversos fatores, como grande exposição ao estresse do dia a dia, problemas financeiros, vulnerabilidade social, abuso de substâncias como cafeína, álcool e nicotina, traumas de infância ou transtornos de personalidade.

O grande problema é que, na maioria das vezes, apesar dos sintomas persistentes, a doença acaba por não ser tratada ou isso é feito de maneira tardia.

Os Transtornos de Ansiedade também são, muitas vezes, confundidos com depressão, alcoolismo ou com dependência química, em que ocorrem abusos na tentativa de amenizar os sintomas, o que acaba por gerar pensamentos e comportamentos suicidas.

 

TRATAMENTO PARA OS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

 

Como as causas dos Transtornos de Ansiedade podem ser muitas, cada caso é diferente do outro. O difícil diagnóstico faz com que a medicina comum trate e controle apenas os sintomas com medicamentos fortes e de uso restrito.

É bastante comum, diante das primeiras manifestações de Transtornos de Ansiedade, as pessoas procurarem tratamentos farmacológicos. Os ansiolíticos, remédios para o controle da ansiedade, são amplamente consumidos pela população brasileira.

Existem diversas alternativas para abrandar os sintomas de ansiedade sem necessidade de intervenção medicamentosa, incluindo alguns tipos de terapias holísticas e hábitos de vida saudáveis, que podem agir no funcionamento do organismo e promover resultados efetivos.

Vínculos emocionais e mudanças comportamentais também são meios auxiliares de tratar quadros de ansiedade, considerando que são ações capazes de estimular a produção de importantes neurotransmissores.

  • Alimentação saudável

Uma alimentação equilibrada, rica em vitaminas e aminoácidos, como triptofano, por exemplo, contribui para a produção de serotonina, o neurotransmissor responsável por regular o humor, considerado um dos hormônios da felicidade.

Entre os alimentos que contém triptofano e aumentam a produção de serotonina estão: proteínas (peru, peito de frango, peixe, ovos, etc.); banana; chocolate meio amargo; abacate; nozes; queijo; batata; beterraba.

Para atenuar os níveis de ansiedade, também é importante evitar os alimentos que elevam o cortisol.

O cortisol é conhecido como o hormônio do estresse, e potencializa os sintomas de ansiedade. Alimentos com alto índice glicêmico, como açúcar e carboidratos refinados, aumentam os níveis de cortisol na corrente sanguínea.

  • Exercícios físicos

A prática de atividades físicas também contribui positivamente para o tratamento de Transtornos de Ansiedade, já que estimula a produção de outro importante neurotransmissor, a endorfina, conhecida por proporcionar relaxamento e bem estar.

A endorfina é considerada um analgésico natural e promove estados de euforia. Além dos exercícios físicos, atividades como cantar, dançar e trabalhar em grupo também favorecem o aumento de endorfinas no organismo e, por consequência, reduzem a sensação de ansiedade.

  • Traçar metas atingíveis

Algumas atitudes e mudanças de comportamento são fundamentais no tratamento da ansiedade. Estabelecer metas de curto prazo, e alcançá-las, é uma ação extremamente benéfica para o bem estar emocional, já que isso é capaz de fazer com que o corpo produza mais dopamina.

A dopamina é o terceiro hormônio que compõe o “quarteto da felicidade”, e está associada aos sentimentos de prazer, amor, motivação e autorrealização.

Essa substância também é ativada quando cumprimos algum objetivo. A sensação de vitória e dever cumprido é uma das chaves que aciona a dopamina, e se reflete na elevação do bem estar.

Portanto, traçar pequenas metas, atingi-las e comemorar as pequenas conquistas é uma ação comportamental efetiva no tratamento de Transtornos de Ansiedade.

  • Manter vínculos emocionais

A oxitocina é o último, e talvez o mais importante, neurotransmissor do “quarteto da felicidade” (serotonina, endorfina, dopamina e oxitocina). Este é o hormônio dos vínculos afetivos.

É fácil identificar a importância dos vínculos emocionais para o desenvolvimento e para a saúde mental do indivíduo.

Pessoas que se desenvolvem sem afetividade, ou em relacionamentos fragilizados, tem mais tendência a apresentar desordens emocionais e desajustamento social.

Manter vínculos afetivos seguros e relacionamentos saudáveis contribui para a manutenção dos níveis de oxitocina. Abraçar, por exemplo, é o método mais simples e prático para elevar a oxitocina no organismo.

Um momento de diálogo ou lazer com família e amigos, também pode causar esse efeito positivo, assim como presentear alguém ou receber um gesto de carinho e gentileza.

Os vínculos emocionais atuam como reforçadores positivos, por consequência, proporcionam bem estar, segurança e confiança, portanto, são considerados aspectos importantes para o tratamento da ansiedade.

  • Terapias holísticas

Yoga, meditação, acupuntura, musicoterapia, reiki, e várias outras terapias alternativas são vistas como opções efetivas como tratamento auxiliar em quadros de Transtornos de Ansiedade.

Algumas dessas técnicas já tiverem seu efeito comprovado e são indicadas por especialistas, como forma de atenuar os sintomas da ansiedade, bem como estresse e depressão.

  • Psicoterapia

O acompanhamento psicológico é fundamental no tratamento de Transtornos de Ansiedade.

Por meio da psicoterapia é possível identificar as causas do problema, estabelecer prognósticos, e promover avanços significativos na redução dos sintomas de ansiedade, com base em teorias e técnicas científicas, entre elas a Hipnose.

 

HIPNOSE NO TRATAMENTO DOS TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

regressão de idade

Para tratar os Transtornos de Ansiedade com efetividade, é preciso atingir a sua origem.

Como o problema pode ter se originado há muitos anos, em decorrência de abalos do passado ou por conta de estresse pós-traumático, tratá-lo de forma natural, com o auxílio de hipnose, possibilita descobrir os gatilhos que provocam esse estado constante de tensão e modificá-los.

Isso é possível visto que a hipnose, quando feita por profissionais capacitados, é capaz de alterar a percepção da pessoa, redirecionando a mente para outros gatilhos de comando, que provoquem um estado de relaxamento e tranquilidade em vez de ansiedade.

Durante as sessões de regressão da hipnose, também é possível descobrir as origens do transtorno de ansiedade e substituí-las por outras lembranças, ajudando a controlar esses distúrbios emocionais para proporcionar melhor qualidade de vida ao seu portador.

hipnoterapia

Caso ainda tenha alguma dúvida sobre esse tema ou queira saber mais sobre os benefícios da hipnose, deixe seu comentário e até a próxima!

Transtornos de Ansiedade → Saiba as causas, sintomas e tratamentos!
4.8 (96.52%) 23 votes