JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

6 sintomas de depressão que você não deve ignorar

Depressão
6 sintomas de depressão que você não deve ignorar
5 (100%) 1 voto

Não é tão fácil identificar a depressão grave em você mesmo ou em alguém que você ama. São muitos empecilhos para que o contato com essa pessoa seja feito de forma saudável. A doença da depressão tem em sua característica o isolamento social e retração de quem sofre com ela. Mas com algumas dicas e muito cuidado você consegue identificar se há sinais de depressão ou não. Você pode usar estas dicas para determinar quando o tratamento é necessário.

As pessoa com depressão deve se preocupar pois os sintomas dessa doenças podem ser sutis e inesperados do que parecem. Diferentemente das análises das doenças biológicas, quadros psicológicos não tem sinais muito estabelecidos porque sentimentos agem de formas diferentes nas pessoas. Assim, é possível pessoas com depressão passem por sensações como irritabilidade e aumento da energia, por exemplo. E eu aposto que você não associaria esses sentimentos a alguém depressivo, não é mesmo?

Todo mundo se sente um pouco para baixo de vez em quando. Mas a tristeza e o afastamento podem se tornar incapacitantes. É aí que o quadro de patologia começa, pondo as pessoas em risco para uma série de condições e consequências graves, incluindo o suicídio. Por isso que, caso haja a desconfiança do desenvolvimento de qualquer quadro de “transtorno” psicológico, não demore. Obtenha ajuda imediatamente! se você notar quaisquer sintomas de depressão grave em si mesmo ou um ente querido.

Os sintomas de depressão

Os sintomas de depressão não são sempre tão evidentes como choro frequente e grande sensação de desespero ou solidão. “Muitas vezes, as mudanças são sutis e a pessoa pode não perceber, mas seus amigos e entes queridos percebem”, afirma Boadie W. Dunlop, MD diretor do programa de transtornos de humor e ansiedade do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade Emory, em Atlanta.

LEIA:  Hipnose no Cinema: 5 filmes sobre Hipnose para você estudar e se divertir

Não há um padrão. Os sintomas de depressão podem progredir gradualmente indo dos leves, tal como escolher ficar em casa assistindo à televisão em vez de sair com os amigos. Indo até os mais graves como, por exemplo, pensamentos de suicídio. Outra situação que pode acontecer é uma pessoa variar de perfeitamente feliz a totalmente deprimida em questão de dias ou semanas. A progressão varia de pessoa para pessoa. Fique atento!

“Os sintomas de depressão são particularmente preocupantes se alguém apresenta mais de um, ou se eles persistem por mais de duas semanas”, diz Simon Rego, PsyD, professor de Psiquiatria Clínica e Ciências do Comportamento no Albert Einstein School of Medicine e diretor de Formação em Psicologia no Centro Médico Montefiore, no Bronx, Nova Iorque.

Para ajudá-lo a reconhecer a depressão preocupante, seja em você ou um ente querido, aqui estão seis sintomas de depressão – alguns dos quais você pode até achar surpreendente – que você não deve ignorar:

Problemas para dormir

Apesar de serem mais lentos em comportamento e motivação, pessoas deprimidas frequentemente ficam acordadas durante a noite, incapazes de dormir, conta Sarah Altman, PhD, psicóloga clínica do Departamento de Psiquiatria e Saúde Comportamental no Wexner Ohio State University Medical Center, em Columbus. Isso se dá normalmente pela assimilação de mais quadros psicológicos que um transtorno normalmente apresenta. Um dos motivos da insônia pode ser ansiedade, por exemplo. Por outro lado, alguns deprimidos podem ter dificuldade em sair da cama. Podendo dormir por longos períodos durante o dia e mais que o “normal”. Essas pessoas apresentaram o quadro de isolamento social, também muito comum.

Perda de interesse nas atividades favoritas

Algumas pessoas buscam seus hobbies quando se sentem tristes, mas os deprimidos tendem a evitá-los. “Assim, se uma pessoa que amava passar tempo com seus netos de repente não quer vê-los, ou alguém que gosta de pescar, de repente, não quer mais fazer isso, este é um mau sinal”, explica Tina Walch, MD, psiquiatra e diretora médica do Northwell Health South Oaks Hospital em Amityville, Nova Iorque.

LEIA:  Sexologia: O que é? Como um Sexólogo pode te ajudar?

Aumento na energia

Ironicamente, quando pessoas deprimidas tomam uma decisão de fazer algo drástico, como, por exemplo, se matar, elas podem mudar de indiferentes e apáticas para mais enérgicas. Isso acontece porque elas sentem uma sensação de alívio de ter chegado a uma resolução. O alerta do Dr. Walch: “Por isso, se notar uma mudança drástica como essa, você deve ficar muito atento.”

Mudanças no apetite

Algumas pessoas comem demais quando estão deprimidas ou ansiosas. Isso acontece normalmente mas em pessoas com depressão grave, o comportamento é geralmente o oposto. “Uma pessoa deprimida pode parar de comer, porque não se preocupa mais com o seu bem-estar físico”, diz John Whyte, MD, MPH, um internista certificado em Washington, DC e autor de Is This Normal? The Essential Guide to Middle Age and Beyond. “Ignorar a higiene pessoal também é motivo de preocupação”, acrescenta o Dr. Whyte.

Irritabilidade

Em algumas pessoas, a depressão se manifesta mais como irritabilidade e impaciência do que sensação de tristeza,” diz o Dr. Dunlop. Normalmente esse comportamento é visto em duas situações. Ou quando a pessoa é normalmente sensível e doce demais ou quando já é explosiva por natureza. Não é incomum que pessoas com um temperamento mais ríspido fiquem piores em quadros depressivos.

Surgimento de um Lado Obscuro

 “Uma pessoa que está gravemente deprimida pode começar a se preocupar com a morte e outros temas sombrios” conta Walch. Por exemplo, ele(a) pode falar sobre como serão as coisas “depois que ele(a) partir” ou for embora. Um comportamento que deve ser muito bem observado é que também pode se tornar mais susceptível a assumir riscos não calculados. Ou seja, ela pode manter comportamentos perigosos como dirigir agressivamente ou beber demais. Ou deixar de se preocupar com atitudes rotineiras que de alguma forma sustentam seu futuro como ir ao trabalho ou até tomar banho.

LEIA:  O prazer de se amar: Como melhorar a sua Autoestima!

O próximo passo: Obter ajuda

Se você notar qualquer um desses sintomas de depressão grave em si mesmo ou alguém que você ama, procure ajuda. “Para a maioria das pessoas, a depressão, mesmo grave, é um distúrbio muito tratável”, diz Walch. “Uma ampla gama de medicamentos e terapias tem se provado eficientes.” Especificamente, o que você deve fazer é:

  • Avaliar a gravidade: Se você ou um ente querido está pensando em se machucar ou está tendo outros pensamentos sombrios, é essencial o tratamento “Vá ao pronto socorro mais próximo ou entre em contato com um prestador de saúde mental público ou particular”, aconselha Walch. Você pode entrar em contato com o Centro de Valorização da Vida pelo número 188.
  • Crie um ambiente seguro: “Se a pessoa manifesta pensamentos suicidas, remova quaisquer itens potencialmente letais da casa, tais como armas,” diz Dunlop. Isso pode protege-la em um momento de vulnerabilidade e fazer toda a diferença.
  • Consulte um profissional de saúde mental: “Não tem que ser um psiquiatra – pode ser, também, um psicólogo ou terapeuta”, explica Whyte. A hipnose é um ótimo caminho para lidar com os quadros psicológicos que surgem paralelamente à depressão.
  • Seja gentil: “Culpar ou castigar pessoas deprimidas por se sentirem desmotivadas ou tristes não ajuda e, normalmente, serve para reforçar sentimentos negativos que elas já possuem”, diz Dunlop. “Em vez disso, abra a discussão de forma a não julgar a pessoa e encorajá-la a buscar ajuda.”
  • Ignore o estigma: “A recente história do [piloto] alemão suicida [Andreas Lubitz] não foi útil em termos do estigma que cerca a depressão”, comenta Walch. “Pessoas deprimidas suicidas não são assassinos. O pensamento suicida pode ser um sintoma de depressão, mas não o pensamento homicida”.
  • Busque recursos.“Muitas organizações têm recursos online sobre a depressão”, diz o Dr. Altman.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

PRÓXIMOS

dezembro 2018

01dez9:00 am02(dez 2)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãoem São Paulo9:00 am - 8:00 pm (2) Professor:Guilherme Alves

07dez(dez 7)9:00 am09(dez 9)6:00 pmMasterClass com Alberto Dell'Isolaem Porto Alegre9:00 am - 6:00 pm (9)

08dez(dez 8)9:00 am09(dez 9)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãono Rio de Janeiro9:00 am - 8:00 pm (9) Professor:Guilherme Alves

15dez(dez 15)9:00 am16(dez 16)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãoem Brasília9:00 am - 8:00 pm (16) Professor:Guilherme Alves

últimos

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

ENTRE PARA NOSSA LISTA

e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Feito com por Let’sRocket

>

Pin It on Pinterest

X