JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Mindfulness, Meditação e Auto-hipnose: Um guia rápido sobre suas diferenças

Mindfulness
Mindfulness, Meditação e Auto-hipnose: Um guia rápido sobre suas diferenças
5 (100%) 7 votos

Muitas pessoas se perguntam a diferença entre Mindfulness e Hipnose, se você é uma dessas pessoas, esse texto é pra você!


Como você já deve saber, toda hipnose é auto-hipnose.

Em alguns casos, você poderá ser guiado a um estado de transe por outra pessoa, como um hipnoterapeuta. Mas é você que comanda o show – já que a hipnose só acontece se você permitir.

A verdade é que entrar em hipnose é muito fácil. Você mesmo(a) já entrou em hipnose em várias ocasiões. Pode acontecer enquanto você assiste a um filme ou programa de TV, ou lê um livro. Ou enquanto faz alguma tarefa repetitiva como lixar a parede, dirigir um carro ou lavar os pratos.

Por alguns segundos, a sua mente consciente se desliga. Em vez de analisar todas as informações que está recebendo, você faz uma pausa. Você viaja para um lugar tranquilo, deixando o mundo externo para trás.

As diferenças entre meditação e auto-hipnose

Muitas pessoas se confundem ao tentar entender as diferenças entre determinadas técnicas como meditação, mindfulness (atenção plena) e auto-hipnose. Elas são para relaxar ou para estimular a mente? Seguem os mesmos passos? Elas são só diferentes formas da mesma coisa?

Essa última pergunta é onde muitas pessoas se confundem. E isso é compreensível, no entanto, a resposta é definitivamente, não. Apesar de compartilharem semelhanças, a meditação e auto-hipnose são práticas muito diferentes. (E explicaremos como a mindfulness se difere adiante).

Mas primeiro, vamos dar uma olhada nas etapas pelas quais você pode trabalhar como parte de uma meditação bem básica:

  1. Fique confortável em um lugar calmo, onde você não será perturbado.
  2. Feche os olhos e respire lentamente, inspirando através de seu nariz e expirando pela boca.
  3. Concentre-se na sua respiração. Se sua atenção se desviar, basta se concentrar na sua respiração novamente. Siga esse processo pelo tempo que desejar.
  4. Quando você estiver pronto para terminar a sua sessão, abra os olhos, levante-se, alongue o corpo e volte a sua consciência para o seu ambiente.

Se você examinar cuidadosamente essas etapas, você identificará algo importante. As três primeiras etapas também poderiam ser parte da fase de indução durante a auto-hipnose.

Outra coisa que você vai notar é que menos etapas são necessárias para entrar em estado meditativo. Enquanto a hipnose (e a auto-hipnose) envolve três fases principais (indução, mudança, emersão) – a meditação é basicamente parte da primeira fase, a fase de indução. A meditação é frequentemente apontada como uma forma de aquietar a mente, uma maneira de se equilibrar e entrar em contato com o ser interior.

A meditação é um objetivo em si – não é para ser um método que leve a algo que não seja suas próprias recompensas.

A auto-hipnose, por outro lado, tem um objetivo definido ou ponto final. Ela começa da mesma forma que a meditação (usando a indução hipnótica como descrito acima), mas, em seguida, desloca-se para a fase de mudança. É aí que o trabalho é feito; é onde são feitas sugestões que podem levar a novos comportamentos ou atitudes. É onde o indivíduo pode conectar-se com sua mente subconsciente para tentar encontrar respostas para perguntas ou soluções para os problemas.

Ao utilizar a auto-hipnose, o objetivo é mudar alguma coisa ou ajudá-lo a melhorar-se como pessoa, se você quiser. Isso pode envolver qualquer número de opções e possibilidades

o que você pode mudar com a hipnose?

  • Quebrar maus hábitos, como o tabagismo, comer demais, roer unhas, etc.
  • Aceitar/conviver com emoções negativas
  • Mudar crenças limitantes
  • Perdoar-se
  • Aumentar a sua confiança e autoestima
  • Superar os distúrbios do sono
  • Reduzir o medo ou ansiedade
  • Combater fobias
  • Aliviar o estresse
  • Gerenciar a perda de peso
  • Melhorar seus relacionamentos
  • Gerenciar a dor
  • Liberar bloqueios criativos
  • Lutar contra a depressão
  • Resolver problemas
  • Definir metas alcançáveis

Algumas dessas categorias podem ser divididas em áreas mais específicas. Por exemplo, não seria aconselhável usar a auto-hipnose para se livrar de todas as fobias conhecidas pela humanidade de uma vez só. Em vez disso, você pode usar a técnica de se concentrar em uma única fobia que você queria eliminar, como o medo de altura, de aranhas ou de espaços abertos.

E o mesmo vale para quebrar maus hábitos. Seria melhor usar auto-hipnose para enfrentar um mau hábito de cada vez. Desta forma, você pode realmente concentrar-se no problema e focar sua atenção adequadamente.

Hipnose e Relaxamento

É claro que você pode usar técnicas de hipnose apenas para relaxar. Com certeza. Mas mesmo nesse caso, você tem um objetivo em mente, que é o relaxamento. Com a meditação, não há outro objetivo, exceto a capacidade de meditar. Ser capaz de aquietar a mente e desfrutar de alguma paz interior e tranquilidade.

Com a auto-hipnose, você pode conseguir a mesma coisa, enquanto aborda também outras áreas de sua vida que você queira mudar ou melhorar. E é isso que torna a auto-hipnose tão poderosa. Ela permite que você se comunique com sua mente subconsciente, onde você vai encontrar tudo o que precisa para aprender, crescer e se tornar uma pessoa melhor.

Mas ela não serve só para quebrar hábitos ou superar fobias. Acesse o seu subconsciente e tenha acesso à criatividade, intuição, resolução de problemas, pensamento inovador – uma fonte quase ilimitada de recursos. E a auto-hipnose oferece-lhe a maneira mais fácil e rápida de acessar esses recursos.

Então, que negócio é este de atenção plena ou mindfulness?

A prática da atenção plena significa que nos comprometemos integralmente a estar presentes em cada momento, nos convidando a interagir com este momento em total consciência, com a intenção de incorporar da melhor forma possível uma orientação de calma, atenção e tranquilidade no aqui e agora.” Jon Kabat-Zinn, Ph.D., conhecido internacionalmente por trazer a prática da atenção plena para a medicina convencional e sociedade ocidental.

O mindfulness tem sido descrita como o processo de prestar atenção no propósito. No sentido mais básico, isso significa ser capaz de prestar atenção e ver claramente o que está acontecendo em sua vida.

Quando você pratica a atenção plena, seu foco é o presente. Você tem a experiência do que está acontecendo agora. Você não se preocupa com o que pode ter acontecido no passado ou o que pode acontecer no futuro. Atenção plena significa estar consciente do que está acontecendo aqui, agora, no momento presente.

E filosoficamente falando, o presente é a única coisa em que você deve realmente estar concentrando sua energia. O passado ficou para trás e o futuro é desconhecido. Você pode permanecer no passado, mas não pode alterá-lo. Você pode imaginar como será o futuro, mas não pode prevê-lo.

O único “tempo” no qual você pode existir é o presente, e é nele que a atenção plena ajuda você a concentrar. E isso inclui tudo o que acontece ao seu redor, todos os seus pensamentos, emoções, desejos, impulsos e sensações.

Por que a mindfulness não é uma técnica de relaxamento?

A atenção plena é uma forma de olhar e experimentar o mundo. Não é apenas mais uma técnica de relaxamento. Quando você relaxa, a ideia é “desligar o interruptor”. Você quer relaxar e esquecer-se do que está acontecendo durante um curto período de tempo.

Quando você pratica a atenção plena, seu objetivo é exatamente o oposto. Você quer “ligar o interruptor”. Você quer despertar todos os seus sentidos, de modo que se torna ciente de tudo que acontece em sua vida. Você não consegue fazer isso simplesmente relaxando. O objetivo com a atenção plena é trazer a sua atenção para a sua vida no momento presente. Isso significa ser capaz de concentrar-se no que pode estar acontecendo, como as suas emoções ou o que você está fazendo ou sentindo agora.

Por exemplo, suponha que você se sinta frustrado por algo que não está indo tão bem quanto deveria. Em vez de ignorar a frustração, a atenção plena te ajuda a enfrentar e lidar com isso no momento, ou seja, no agora. Isso te impede de tornar-se retraído e de ficar ainda mais frustrado ou com raiva, o que pode resultar em ansiedade e estresse.

mindfulness ajuda você a tirar melhor proveito da vida e da hipnose

Quando você está mais consciente do momento presente, as coisas mudam. Você consegue desfrutar o mundo de outra forma. Você pode se conhecer melhor e chegar a um entendimento mais profundo sobre o que te motiva.

O pessoal do site mindful.org diz o seguinte:

“Sempre que você traz a consciência para o que você está experimentando diretamente através dos seus sentidos, ou para o seu estado de espírito através de seus pensamentos e emoções, você está em atenção plena.”

Em resumo, quando você pratica a atenção plena, você se torna mais conscientes de seus próprios pensamentos. Você toma conhecimento das paisagens, sons, cheiros e sensações ao seu redor. O foco é aprender a controlar o seu foco de atenção. Praticar a atenção plena pode trazer-lhe muitos benefícios físicos, emocionais e mentais. Entre eles, estão:

Benefícios físicos, emocionais e mentais de se praticar a atenção plena:

Sono melhor – Melhor produtividade no trabalho – Relações mais saudáveis – Menos estresse – Uma mente mais calma – Maior relaxamento

Legal, né? E você pode obter tudo isso se simplesmente aprender a concentrar sua atenção. Essas cinco palavras em negrito te lembram algo? Deveriam lembrar, porque elas também são parte da definição de hipnose. A capacidade de concentrar sua atenção em um único pensamento ou ideia.

Então, o que a atenção plena tem a ver com a auto-hipnose? Qual é a ligação? Como é que as duas técnicas se encaixam?

Como a atenção plena complementa a auto-hipnose

A atenção plena é um processo que permite uma maior conexão entre a mente e o corpo. Ela ajuda a te colocar em contato com a sua intuição. Muitas das técnicas associadas também são usadas na atenção plena e na PNL. Por exemplo, você pode usar várias técnicas de atenção plena para ajudar a mudar perspectivas ou reorientar a sua atenção, que irão ajudá-lo(a) a entrar em transe e experimentar maiores transformações.

Aqui estão duas técnicas típicas da atenção plena que complementam a auto-hipnose e podem facilitar o seu processo de entrar em transe.

Mindfulness – Exercício 1: Contagem da respiração

A ideia é praticar mindfulness contando suas respirações com os olhos fechados.

  • Comece contando suas respirações e, assim que um pensamento diferente entrar em sua mente, pare. O número de respirações que você contou até parar será a contagem da sua respiração.
  • Se você nunca tentou este exercício antes, pode ser que você só consiga contar até 2 ou 3 respirações. Depois disso, pode ser que você se distraia com outro pensamento. Isso é perfeitamente normal.
  • Em seguida, repita a sua contagem de respiração algumas vezes até que você se sinta mais equilibrado(a) e calmo(a). Simplesmente sente-se e deixe sua mente livre, não se concentrando em nada específico.
  • Apenas “sente-se com a sua mente.” Isso significa deixar sua mente correr livre, sem fazer nenhum esforço, apenas apreciando os sentimentos e sensações de sua experiência.
  • Toda vez que você fizer o exercício, conte suas respirações sem distração no início. Você vai descobrir que quanto mais você pratica, mais respirações você será capaz de concluir antes que venha uma distração. Este é um sinal certo de que você está melhorando sua capacidade de se concentrar em uma tarefa.

Mindfulness – Exercício 2: Varredura do corpo

A ideia deste exercício é desenvolver estados aumentados de consciência em seu corpo sem ter que tocá-lo.

  • Para começar, coloque a mão sobre uma parte do seu corpo, como sua testa.
  • Enquanto se concentra nas sensações associadas a essa parte de seu corpo, avance lentamente para outra parte, como o seu nariz, seguido por seu queixo, ombros, peito, costelas e assim por diante.
  • Cada vez que você tocar uma nova parte do corpo, concentre-se nas sensações daquele local.
  • À medida que fica melhor no exercício, você será capaz de se concentrar nas sensações associadas a diferentes partes de seu corpo sem realmente tocá-las. Isso te mostra que você desenvolveu um senso maior de consciência.
  • O objetivo é ser, eventualmente, capaz de sentir e se conectar com seu corpo inteiro, sem precisar tocá-lo. Esta é uma técnica fantástica para fazer logo ao acordar, assim você consegue conectar-se com áreas em que haja estresse, desconforto, tensão e assim por diante.

Por exemplo, ao fazer a varredura do seu corpo, você percebe que seus ombros estão tensos, como se estivessem subindo até os seus ouvidos? Ou você tem nós no seu estômago? Quando você dedica tempo para identificar essas sensações – sensações que poderiam passar despercebidas – você pode tomar conhecimento e resolvê-las durante a auto-hipnose.

Como você ver, exercícios de atenção plena são ótimos para direcionar sua atenção para dentro, o que significa que eles são uma maneira útil para prepará-lo para auto-hipnose. Eles te ajudam a dar o primeiro passo para se conectar com a mente subconsciente. Isso porque eles permitem que você ignore a parte analítica de sua mente e te colocam em um estado mental mais “sensível” – te ajudando a se conectar com seu corpo.

E por que é tão importante conectar-se com o seu corpo?

Bem, em essência: os seus pensamentos e sentimentos, quer sejam positivos ou negativos, deixam “pegadas” no seu corpo. Identificando onde essas “pegadas” estão por meio das técnicas de atenção plena, você pode entender melhor sobre por que você se sente de tal forma. Isso é bastante útil quando a causa não é evidente.

Por exemplo, algumas partes do seu corpo podem parecer pesadas, leves, tensas, energizadas, cansadas, livres, fechadas, apertadas, abertas, descontraídas, etc. Suponha que durante a varredura do corpo você note que há muita tensão em seu rosto, ombros, costas e braços, e que seu coração está batendo mais rápido do que o de costume – você pode, em seguida, investigar melhor a situação.

Qual é a causa de toda essa tensão? O problema é óbvio? Como estão seus pensamentos no momento? Quais emoções negativas não resolvidas estão fazendo com que seu corpo esteja constantemente em modo de luta ou fuga? Da mesma forma, se ao contar as respirações você notar que custa chegar a duas contagens – sendo que geralmente você conta até 20 antes de sua mente vaguear, isto provavelmente é um sinal de que você está com a cabeça cheia.

Às vezes, a razão para isso será óbvia (e pode inclusive ser o motivo pelo qual você está usando essas técnicas em primeiro lugar), mas em outras ocasiões, pode ser menos óbvio. Nestes casos, seu subconsciente pode estar avisando-lhe para tomar providências, como se preparar para uma grande reunião que você vem evitando. Ou pode haver uma sensação de incômodo circulando seu corpo porque você precisa definir limites mais claros com alguém em sua vida.

Então, uma das vantagens adicionais de se fazer exercícios de atenção plena antes da auto-hipnose é que eles o ajudam a desbloquear um objetivo para sua sessão de auto-hipnose. Exercícios de atenção plena tornam mais óbvio aquilo que não está claro para a sua mente consciente. Em seguida, depois de identificar o problema, você pode tomar conhecimento dele durante a auto-hipnose.

mindfulness

Não cometa erros: Este insight é precioso. Muitas pessoas passam apressadas pelos dias sem perceber a razão de sua irritabilidade, incômodo, raiva, tristeza ou outra emoção negativa que possam estar sentindo. Frequentemente, quando a causa da emoção não é óbvia, as pessoas reduzem a causa e atribuem seu estado mental a estar tendo um “dia ruim”. E sim, isso é parte da experiência humana. Todos temos dias em que nos sentimos para baixo, com pouca energia ou sem brilho.

No entanto, se você costuma viver o seu dia-a-dia sentindo uma série de emoções negativas e realmente não sabe bem por que, exercícios de atenção plena são um ótimo ponto de partida para te colocar no caminho da descoberta. A partir deles, a auto-hipnose pode ser usada para identificar melhor, curar e dissolver esses problemas. É por isso que as técnicas se completam tão bem.

 

LEIA:  101 Maneiras de Lidar Com o Estresse: Lista de um Psicólogo Famoso para Manter uma Mente Calma

Traduzido por Sabrina Silva

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

PRÓXIMOS

setembro 2018

29set(set 29)9:00 am30(set 30)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãoem São Paulo9:00 am - 8:00 pm (30) Professor:Guilherme Alves

outubro 2018

12out(out 12)9:00 am14(out 14)6:00 pmHipnose Não Verbal com Giancarlo Russoem São Paulo9:00 am - 6:00 pm (14)

20out(out 20)9:52 pm21(out 21)9:52 pmHipnose Clínica & Regressivaem Belo Horizonte9:52 pm - 9:52 pm (21) Professor:Guilherme Alves

novembro 2018

10nov(nov 10)9:00 am11(nov 11)6:00 pmHipnose Neurossensorialem São Paulo9:00 am - 6:00 pm (11)

dezembro 2018

08dez(dez 8)9:00 am09(dez 9)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãoem Rio de Janeiro9:00 am - 8:00 pm (9) Professor:Guilherme Alves

15dez(dez 15)9:00 am16(dez 16)8:00 pmHipnose Clínica & Regressãoem Brasília9:00 am - 8:00 pm (16) Professor:Guilherme Alves

últimos

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

ENTRE PARA NOSSA LISTA

e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Feito com por Let’sRocket

X