Dor de Cabeça: Quais as principais Causas, Tratamentos e Tipos12 minutos de leitura

Uma das queixas mais comuns das pessoas em relação às dores do dia-a-dia é a dor de cabeça. Também chamada de cefaleia, é certo que a maioria de nós experimentá essa sensação terrível em algum momento da vida, ela pode afetar qualquer pessoa, independentemente de idade, raça ou gênero.
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), quase metade dos adultos em todo o mundo sofrerá com dores de cabeça em alguma circunstância da vida. Porém, apesar de muito comum, essa condição é uma das que mais intrigam médicos em todo o mundo. Isso se dá pela multiplicidade de sintomas e formas diferentes de como a dor pode nos afetar.

Nesse texto você vai entender um pouco mais sobre esse incômodo tão comum!

Conhecendo sua dor de cabeça

Várias doenças e situações apresentam a dor de cabeça como consequência… Ela pode surgir durante a mais simples gripe ou mais graves hipertensão arterial ou depressão, por exemplo. Mas essas são as causas biológicas, certo? Mas gente também sente dor de cabeça após chorar muito não é? E isso não está relacionado com nenhuma “doença”.

As dores de cabeça pode ser tanto um sinal de estresse ou sofrimento emocional quanto resultado de algo biológico. Por isso a dificuldade em qualifica-las ou quantificá-las. Mas se engana quem pensa que o problema acaba por aí. Existe outra situações agravantes…

Ainda conforme a OMS, a enxaqueca é a quarta doença crônica mais incapacitante do mundo! Ou seja, as pessoas que têm dores de cabeça frequentes, por exemplo, podem achar difícil cumprir suas rotinas de forma saudável. O que gera grande impacto no âmbito psicossocial desse indivíduo, produzindo mais estresse e dor.

Os dois principais tipos de cefaleia

A cefaleia pode ocorrer de muitas, muitas formas! Seja em qualquer parte da cabeça, em ambos os lados ou em apenas um local. Você pode sentir que ela irradia partindo de um ponto central, ou tem uma intensidade semelhante em toda a região afetada. Ela pode ser afiada, latejante, gradual ou repentina…

E não importa de que forma ela se apresente! Todas são igualmente chatas, não é mesmo?

O fato é que existem diferentes maneiras de definir as dores de cabeça. A International Headache Society (IHS) conseguiu agrupa-las em dois grupos principais. Elas podem ser primárias – quando não são causadas por outra condição –, ou secundárias – quando há outra causa subjacente.

Ou seja, para a IHS tudo depende se há ou não um motivo biológico conduzindo à dor. Entenda:

Dor de cabeça primária

As dores de cabeça primárias são dores autônomas causadas diretamente pela hiperatividade física ou neurológica. Outra possibilidade de causa desse tipo é quando a dor surge por problemas com estruturas que são sensíveis. Dentro dessas estruturas podemos incluir os vasos sanguíneos, músculos e nervos da cabeça e pescoço. Elas também podem resultar de mudanças na atividade química do cérebro.

Dor de cabeça secundária

Dores de cabeça secundárias são sintomas que ocorrem quando outra condição estimula os nervos sensíveis à dor na cabeça. Em outras palavras, os sintomas podem ser atribuídos a outra causa.

Uma grande variedade de fatores pode causar as dores de cabeça secundárias, incluindo:

• Ressaca provocada pelo álcool
• Tumor cerebral
• Coágulos de sangue
• Sangramento dentro ou ao redor do cérebro
• “Congelamento do cérebro”, ou dores de cabeça causadas por sorvete
• Envenenamento por monóxido de carbono
• Concussão
• Desidratação
• Glaucoma
• Bruxismo
• Gripe
• Uso excessivo de medicação contra dor, conhecida como dor de cabeça de rebote
• Ataques de pânico
• Acidente vascular encefálico

Como dores de cabeça podem ser um sintoma de uma condição grave, é importante procurar conselho médico caso elas se agravem ou fiquem mais regulares ou persistentes.

Principais Causas

Também pode ser que esse incomodo seja causado por algum comportamento recorrente do seu dia-a-dia. Existem diversos gatilhos para a dor de cabeça aparecer. Conheça as causas mais comuns:

Estresse

Sabe-se que o estresse libera doses dos hormônios adrenalina e cortisol, responsáveis por um aumento da frequência cardíaca. Isso pode causar dor de cabeça por conta de uma vasoconstrição dos vasos que irrigam a cabeça. A rotina estressante e a pressão da chefia podem ser a causa das dores constantes. A pressão, as cobranças e o medo de perder um cargo cobiçado geram mais estresse.

Dormir mal

Dormir mal faz com que a quantidade do hormônio melatonina diminua. Esse hormônio ajuda a evitar o a dor, especialmente a enxaqueca, ao favorecer a síntese de analgésicos naturais. Além disso, quem dorme mal tende a sofrer mais com estresse.

Alguns alimentos

Se você tem enxaqueca, sofre de dores de cabeça facilmente, ou está com aquela dorzinha chata, evite os seguintes alimentos: chocolate, café e chás pretos, embutidos, queijos amarelos, álcool, frutas cítricas, molho shoyo, cebola, alho e sorvete. Esses alimentos possuem substâncias que podem disparar o gatilho da dor. No caso do sorvete, há uma contração dos vasos, através da sensação de frio que o palato sofre. É como se o organismo estivesse dando um alerta para a diminuição repentina da temperatura.

Pular refeições

Ficar muito tempo sem comer pode causar hipoglicemia, ou seja, uma baixa nos níveis de açúcar no sangue. Essa baixa pode estimular indiretamente a liberação de adrenalina, que provoca a vasoconstrição, causando dor.

Muito calor

Um estudo realizado com sete mil pacientes do Centro Médico Beth Israel Deaconess, nos Estados Unidos, descobriu que a incidência de dores na cabeça causadas por enxaqueca, tensão ou outras causas aumenta cerca de 7,5% para cada 5°C a mais na temperatura. Além do calor, outros fatores ambientais como pressão, umidade e poluição do ar influenciam no aparecimento das dores. Isso ocorre porque o calor, ao facilitar a desidratação, desequilibra o processo de entrada e saída de sódio e potássio das células, causando um distúrbio metabólico que facilita a cefaleia.

Postura incorreta

A má postura pode causar uma dor conhecida como cefaleia tensional. Os nervos da coluna acabam ficando comprimidos com a posição incorreta e a dor é irradiada para a cabeça. Além disso, no caso das dores crônicas, a causa pode ser uma hérnia de disco, cervical, bico de papagaio e osteoporose.

Esforço exagerado

Depois da academia e até do sexo, muita gente sente uma leve dor incômoda que, no caso de quem tem enxaqueca, pode ser até uma dor mais intensa. Existe uma causa conhecida pelos médicos como cefaleia pós-esforço. No entanto, essa dor de cabeça também pode ser indício de algo mais sério, como um aneurisma. O efeito também pode ser inverso – ou seja, o sedentarismo pode aumentar o risco de enxaqueca, uma vez que a prática de exercício regular, sem exagero, ajuda na vasodilatação, reduzindo os episódios de dor de cabeça.

Cheiros fortes

Não se conhece a fundo a relação entre alguns cheiros e a dor de cabeça, mas existem odores desencadeantes da cefaleia. Perfumes fortes, gasolina, solventes e cheiro de cigarro, quando em uma exposição prolongada, facilitam o aparecimento da dor de cabeça.

Qual é a sua dor?

Os sintomas de uma dor de cabeça podem depender do seu tipo. Para concluir se elas estão evoluindo, regredindo ou alterando é preciso conhece-las. Por isso tente identificar ao máximo qual o grau de intensidade da sua dor, como ela se dá e o local. Só assim você vai poder fazer medidas!

Dores de cabeça de tensão

As dores de cabeça de tensão são a forma mais comum de dor de cabeça primária. Elas normalmente começam lenta e gradualmente no meio do dia. A pessoa pode sentir:

  • Como se tivesse uma tiara apertada ao redor da cabeça
    • Uma dor constante e maçante em ambos os lados
    • Dor espalhada para o pescoço ou vindo dele

As dores de cabeça de tensão podem ser episódicas ou crônicas. Os ataques episódicos geralmente têm poucas horas de duração, mas podem chegar a durar vários dias. As crônicas ocorrem por 15 ou mais dias por mês por um período de, pelo menos, três meses.

Enxaqueca

Uma dor de cabeça de enxaqueca pode causar uma dor pulsante e latejante, geralmente apenas em um lado da cabeça. O dano pode ser acompanhado por:

  •   Visão embaçada
    • Tonteira
    • Náuseas
    • Distúrbios sensoriais conhecidos como “auras”

A enxaqueca é a segunda forma mais comum de dor de cabeça primária e pode ter um impacto significativo na vida de um indivíduo. Ela pode durar de algumas horas até dois ou três dias e, de acordo com a OMS, é a sexta maior causa de dias perdidos por incapacidade em todo o mundo.

A dor “rebote”

As sensações de refluxo ou de recorrência das dores de cabeça resultam de um uso excessivo de medicamentos para tratar os seus sintomas. Essa é a causa mais comum de dores de cabeça secundárias.

Elas geralmente começam no período da manhã e persistem ao longo do dia, podendo até melhorar com a medicação contra a dor, mas voltando a piorar quando cessam seus efeitos.

Junto com a dor de cabeça em si, as dores de cabeça de rebote ou de repercussão podem causar:

• Dores no pescoço
• Inquietação
• Congestionamento nasal
• Qualidade reduzida do sono

As dores de cabeça de rebote podem causar uma série de sintomas, e a dor pode ser diferente a cada dia.

Dores de cabeça coletivas

Duram, geralmente, entre 15 minutos e 3 horas, ocorrendo repentinamente de uma a oito vezes por dia, durante um período de semanas ou meses.

No período entre os agrupamentos, pode não haver sintomas de dor de cabeça, e eles podem durar meses ou até anos. As dores causadas por dores de cabeça coletivas são:

  • Unilaterais
  • Graves
  • Muitas vezes descritas como afiadas
  • Tipicamente localizadas ao redor de um olho

A área afetada pode tornar-se vermelha e inchada, a pálpebra pode cair, e a passagem nasal no lado afetado pode ficar cheia e escorrendo.

Dores de cabeça relâmpago

Súbitas e severas, muitas vezes descritas como a “pior dor de cabeça da minha vida”. Elas atingem a intensidade máxima em menos de um minuto e duram mais de cinco minutos.

A dor de cabeça relâmpago é, muitas vezes, secundária a condições que ameaçam a vida, como hemorragia intracerebral, trombose venosa cerebral, aneurismas quebrados ou não destruídos, síndrome de vasoconstrição cerebral reversível (RVS), meningite e apoplexia pituitária.

Portanto, as pessoas que experimentam essas dores de cabeça súbitas e severas devem buscar avaliação médica imediatamente.

Diagnósticos de tratamento

Geralmente, um médico poderá diagnosticar um tipo particular de dor de cabeça a partir de uma descrição da condição, do tipo de dor, do tempo e do padrão de ataques. Se a natureza da dor de cabeça parece ser complexa, alguns testes podem ser realizados para eliminar causas mais graves.

Os testes podem incluir:

  • Exames de sangue
    • Raios-X
    • Exames cerebrais, como CT e MRI

As formas mais comuns de tratar dores de cabeça são medicações de descanso e alívio da dor. A medicação genérica para alívio da dor está disponível sem receita médica (OTC), mas os médicos podem prescrever medicamentos preventivos, como antidepressivos tricíclicos, agonistas de receptores de serotonina, medicamentos antiepilépticos e betabloqueadores.

A importância do diagnóstico seguro

É importante seguir o conselho do médico, porque a suspensão da medicação para alívio da dor pode levar a dores de cabeça de recuperação, mas o tratamento das dores de cabeça de recuperação envolve a redução ou paragem da medicação para alívio da dor. Em casos extremos, uma curta permanência hospitalar pode ser necessária para gerenciar a retirada com segurança e efetividade.

Alívio da dor de cabeça e auto cuidado

Podem ser tomadas várias medidas para reduzir o risco de dores de cabeça ou aliviá-las em uma ocorrência, como por exemplo:

  • Aplique uma embalagem de calor ou um pacote de gelo à sua cabeça ou ao seu pescoço, mas evite temperaturas extremas;
  •  Evite estressores sempre que possível e desenvolva estratégias de enfrentamento saudáveis para o estresse inevitável;
  • Coma refeições regulares, tomando cuidado para manter o açúcar no sangue estável.

Um banho quente pode ajudar, mesmo que, em raras condições, a exposição à água quente possa desencadear novas dores de cabeça. Exercitar-se regularmente e descansar o suficiente, mantendo o sono regular, são ações que contribuem para a saúde geral e redução do estresse.

Tratamentos alternativos para a dor de cabeça

Várias formas alternativas de tratamento para dores de cabeça também estão disponíveis, mas é importante consultar um médico antes de fazer alterações importantes ou começar qualquer forma alternativa de tratamento.

Abordagens alternativas incluem:

  • Acupuntura
    • Terapia comportamental cognitiva
    • Produtos de saúde à base de plantas
    Hipnose
    • Meditação

As pesquisas não fornecem evidências para confirmar se todos esses métodos funcionam. Às vezes, uma dor de cabeça pode resultar de uma deficiência de um nutriente ou alguns nutrientes específicos, especialmente magnésio e certas vitaminas do grupo B.

As deficiências nutricionais podem ser resultantes de uma dieta de má qualidade, problemas subjacentes de má absorção ou outras condições médicas.

A OMS aponta que as dores de cabeça muitas vezes não são levadas a sério porque são esporádicas e a maioria delas não leva à morte, mas muitos especialistas pedem que sejam alocados mais recursos para o tratamento de distúrbios de dor de cabeça, por causa do enorme fardo de saúde que representam.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário:

outros Artigos

Hey,
o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

november

29nov01decFormação Internacional Hipnose Não Verbalem São Paulo

X